Vampiros do Brasil
Seja Bem vindo ao Fórum Vampiros do Brasil!!!

Para ver o conteúdo Completo do nosso Fórum
Faça Login ou registre-se.

Além de você se registrar estará ajudando o Fórum a crescer.
Como usuário registrado poderá Comentar, Postar e ainda fazer muitos amigos.

Equipe Vampiros do Brasil



 
InícioRegistrar-seLogin
Convidado...Seja Bem Vindo(a) ao Vampiros do Brasil!!!
Deseja jogar nos PIF's de Vasta ou Bela Noite?
Mande uma Mensagem Privada para FireStorm.

Compartilhe | 
 

 Salão

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
Ir à página : Anterior  1, 2
AutorMensagem
Narrador



Masculino Número de Mensagens : 61
Data de inscrição : 28/05/2009

MensagemAssunto: Salão   Qua 5 Ago - 8:41

Relembrando a primeira mensagem :

Os dias na taberna eram tranquilos, durante o dia algumas poucas pessoas passavam por ali à procura de lugar para dormir ou algo para comer, porém na taberna não havia quartos disponíveis no segundo andar, apenas o quarto da dona. Não havia quartos porque poucos eram os viajantes, a maioria da clientela era o próprio povoado que aos poucos pegavam gosto pela diversão à muito esquecida.

Cassandra a dona da taberna era uma mulher sozinha, seu marido e filhos tinham ido servir na guerra de Vasta, e como muitos outros não retornaram. Ela então fugiu da cidade de Vasta com um grupo de pessoas que moravam perto, amigos de uma vida inteira, tentando recompor a dignidade perdida. Acharam no pé da montanha ao Norte, um lugar para chamar de lar.

Aos poucos foram reerguendo sua vida, e Cassandra decidiu seguir com o negócio do marido, abrindo assim a segunda Taberna Escudo de Carvalho. O lugar a principio era simples, um grande salão de madeira com poucas mesas e uma fraca iluminação, porém o cheiro de assados e temperos que Cassandra fazia cativou a todos do povoado.

Hoje, 10 anos depois de o Refúgio ser fundado a Taberna estava maior, mais mesas e mais pessoas frequentavam o lugar, mas os dias ainda eram calmos e monótonos, poucos viajantes se embrenhavam na proteção da floresta e achavam o lugar, a música suave que um Bardo bêbado tocava em troca de alguns copos era constante e quase todos os dias podia-se encontrar o velho homem sentado ao fundo da taberna com seu alaúde nas mãos. E assim Cassandra seguia a vida, cozinhava durante o dia todo e a noite servia as bebidas para os clientes rotineiros, vez ou outra tinha que barganhar com os jovens da Vila para caçarem para ela. Mas no geral, a vida era tranquila, bem diferente da vida que Cassandra deixara para trás no Reino de Vasta.


Voltar ao Topo Ir em baixo

AutorMensagem
Master.Lonng



Masculino Número de Mensagens : 8
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro
Data de inscrição : 02/08/2015

MensagemAssunto: Re: Salão   Qui 3 Set - 20:26

Assim que os sons cessam com a brusca entrada de um homem no salão, ensanguentado, suado, e em prantos, Guildhart rapidamente recolhe um ou dois coelhos que estavam sobre uma mesa, amarra-os e colocá-os na cintura.

- Kiara, Cassy, acho que fui precipitado em comemorar meio a calmaria. Mas não se preocupem, se depender de mim, essa taverna será  um santuário, e nenhum Orc ousará cruzar estes dominios. - Ele guarda a comida em suas vestes - Caso aconteça alguma coisa comigo, lembre-se de manter as crianças e os mais velhos seguros! - Seus olhos eram serenos, e suas palavras sempre muito firmes.

Ele então direciona-se a uma mesa com um cálice de água e corre até o homem que acabara de entrar, ao chegar perto, fica de cócoras a seu lado. - Acalme-se. Descance por um instante. - Esperando ele recuperar o fôlego, beber alguns goles de água enquanto limpa o sangue, lagrimas e o suor de seu rosto, e logo continua. - Onde eles estão? E estão em quantos estão? - Enquanto fala, com uma das mãos, corta um pedaço de tecido de suas vestes, e cobre os ferimentos mais visíveis.

- Não temos muito tempo, assim que sairmos, cubram as janelas, travem as portas e apaguem as velas! Tenham cuidado, Orcs não fazem prisioneiros ... - Ele é muito enfático no que diz.

Enquanto ouve as instruções do homem caído, começa a organizar o seu plano de ação. - Precisarei de ajuda, alguém se candidata? - Indaga já riscando o chão com um pequeno pedaço de giz. Outrora alegre, e dançante sua fisionomia muda drasticamente Guildhart estava muito mais sério e preciso no que fazia. Era quase metódico.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Artorius



Masculino Número de Mensagens : 14
Data de inscrição : 31/07/2015

MensagemAssunto: Re: Salão   Qua 9 Set - 14:47

As palavras daquela criatura o incomoda um pouco. Realmente era estranho qualquer diversão acabar tão rapidamente, mas pouco importava. Dandara já estava a vista e os demais que se preocupassem com seus deveres.

-Preciso ir um lugar. Se achar mais interessante fique mais um tempo com estas criaturas e consiga informações uteis se é que eles possuem.

Artorius não olha para trás e não aguarda a resposta de sua amiga só pensava em uma única coisa: “Se teria que conviver com estes seres teria que criar um meio para conseguir sobreviver sem a companhia das amazonas.”
Voltar ao Topo Ir em baixo
Tatsu



Masculino Número de Mensagens : 8
Data de inscrição : 03/08/2015

MensagemAssunto: Re: Salão   Qua 9 Set - 22:57

Subitamente, Tatsu perdeu o interesse no grandão, ele era apenas um idiota.
Ignora o que quer que seja que ele tenha falado para a mulher que o acompanhava e diz:
" Esse seu amigo é meio bocó"
Nisso parte em direção a taverna novamente, corria de modo suave, suas vestes faziam parecer que deslizava, flutuava pelo chão.
Chega ainda a tempo de ouvir as ultimas palavras daquele que minutos antes dançava e chamava exageradamente a atenção na taverna.
Entra tentando chamar o mínimo de atenção possível, então se dirige ao elfo que havia trago até ali:
"Eu estava indo embora, mas ouvi que a música parou...o que aconteceu? O que ouve com aquele jovem?"
Tatsu estava disposto a ajudar, contanto que soubesse o que havia ocorrido.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Dandara



Feminino Número de Mensagens : 12
Data de inscrição : 04/08/2015

MensagemAssunto: Re: Salão   Qui 10 Set - 11:21

Dandara observa Arthorius e apenas sorri..

- Não acho que quer minha companhia para isso,
vou ficar por aqui e talvez volte para seu casebre quando me cansar.


Olha para o rapaz que seguia seu amigo e não liga muito para suas palavras,
depois que ele volta para a taberna, ela o acompanha de longe,
entra e apenas escuta os rumores.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Sophytia



Feminino Número de Mensagens : 8
Data de inscrição : 31/07/2015

MensagemAssunto: Re: Salão   Sex 11 Set - 13:09

Sophytia observa o estranho homem que leva uma tira de couro. Aquele homem a instigava,
distinto e misterioso, teria que ficar de olho nos forasteiros se quisesse garantir a integridade do Refúgio.

Citação :
-Orcs...orcs... OS ORCS VOLTARAM!!!

Sophytia se assusta com os berros do homem, corre para a entrada da Taberna e vê um dos
caçadores caído ao chão. O sangue pingava em grossas gotas na madeira polida, e o silêncio
ecoava no local.

Citação :
-Onde estão os outros caçadores?? Onde está meu filho??

O rosto de desolação do caçador demonstra que apenas ele sobreviveu, a dor logo invade seu rosto
e ele desfalece com pesar. Amenizando assim a dor dos ferimentos. Logo o amigo de Cassandra se
ajoelha ao lado do homem e estanca algumas feridas maiores.

Citação :
- Não temos muito tempo, assim que sairmos, cubram as janelas, travem as portas e apaguem as velas! Tenham cuidado, Orcs não fazem prisioneiros ... - Precisarei de ajuda, alguém se candidata?


Sophytia dá uma rápida olhada em volta reconhecendo muitos rostos que a acompanhava em
algumas caçadas, porém também muito rostos desconhecidos, em que não se podia confiar.

- Ele veio até aqui ferido e sozinho, pode ter sido seguido, e se não foi logo os Orcs
acharam a trilha pelo cheiro do sofrimento que ele deixou.


Ela falava alto em meio ao silêncio, cada um ali podia entendê-la muito bem.

- Temos que explorar os arredores, não podemos ser pegos de surpresa, devemos avançar e
descobrir seu paradeiro, antes que nos achem. Porém devemos também proteger o Refúgio.


Ela respira e olha diretamente para Gildhart ajoelhado a sua frente.

- Sei que esse não é o lar de muitos de vocês, mas aqui está a esperança de uma vida melhor
após os horrores da guerra. Precisamos de toda ajuda, vocês estão dispostos a lutar por isso.. ??


Alguns amigos caçadores que há muito moravam no Refúgio deram berros de apoio, e alguns já
pegavam suas armas para acompanhar o grupo de caça.

- Quem ficará para proteger os Refugiados, e quem irá caçar essas criaturas nojentas ?

Grita a guerreira erguendo sua espada.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Master.Lonng



Masculino Número de Mensagens : 8
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro
Data de inscrição : 02/08/2015

MensagemAssunto: Re: Salão   Dom 20 Set - 22:23

Sophytia escreveu:
- Ele veio até aqui ferido e sozinho, pode ter sido seguido, e se não foi logo os Orcs
acharam a trilha pelo cheiro do sofrimento que ele deixou.

Ela parecia saber bem o que estava fazendo, e com certeza, já havia batalhado mais vezes do que parecia. Gildhart acena com a cabeça concordando com suas palavras.

Sophytia escreveu:
- Temos que explorar os arredores, não podemos ser pegos de surpresa, devemos avançar e
descobrir seu paradeiro, antes que nos achem. Porém devemos também proteger o Refúgio.

Sophytia escreveu:
- Quem ficará para proteger os Refugiados, e quem irá caçar essas criaturas nojentas ?

Prontificando-se ele ouve as instruções do homem caído. E em seguida pega suas coisa, levanta rapidamente e segue porta a fora. Ele não comenta muita coisa ao sair, apenas consente com a equipe de caça. Já havia algum tempo que não caçava algo maior que uma corsa. Já do lado de fora ele comenta com Sophitya.

- Vou tentar avistá-los por cima dos telhados, eles em geralmente carregam fogo e destruição por onde passam... é uma forma de alcançá-los mais rápido procurando por fumaça e pelas luzes das tochas. E por serem mais brutos, seu progresso na floresta é rude e barulhento...

Afivelando os cintos, verificando cada lâmina em sua posse, e garantindo que todos os seus equipamentos estavam em ordem, e logo em seguida com movimentos ágeis, ele sobe ao telhado para ter uma visão melhor.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Dandara



Feminino Número de Mensagens : 12
Data de inscrição : 04/08/2015

MensagemAssunto: Re: Salão   Sex 2 Out - 8:41

Dandara observa toda aquela movimentação, se vira e volta para o casebre.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Conteúdo patrocinado




MensagemAssunto: Re: Salão   

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
Salão
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 2 de 2Ir à página : Anterior  1, 2
 Tópicos similares
-
» Salão de trocas do Nerkon
» Salão Real
» Capítulo 1: As Sombras da Floresta
» Salão para Eventos
» Salão Indoor

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
Vampiros do Brasil :: PIF - Play In Fórum :: A Herança de Vasta: O Reino Caído :: Refúgio :: Taberna Escudo de Carvalho-
Ir para: